(86) 3131-1234
****

PRONTOMED INFANTIL

Meditação infantil: conheça os benefícios da prática e melhores técnicas

Dentre os benefícios estão o aumento da concentração, redução da agressividade e diminuição dos sintomas da ansiedade.

Tamanho da letra:
A
A
Publicado em: 16 de abril de 2020

Imagem: iStock

Nem sempre é fácil lidar com a rotina agitada. Se para os adultos a cotidiano já é estressante, imagina para as crianças, que ainda estão desenvolvendo suas personalidades e mentalidades. Uma pausa de apenas alguns minutos nessa correria do dia a dia pode ser o suficiente para que seu filho tenha mais qualidade de vida e calma. Para isso, apostar em técnicas de concentração, como a meditação infantil, podem trazer benefícios a longo prazo.

A prática milenar tem como princípio esvaziar a mente, diminuir os movimentos do corpo e atingir um grau de relaxamento completo. Para os jovens, as vantagens são ainda maiores, auxiliando no progresso socioemocional e contribuindo na evolução da aprendizagem.

“Com tantos estímulos à nossa volta, uma quebra na rotina, um momento de tranquilidade e o silêncio podem ser necessários para que a criança e o adolescente procurem se entender melhor”, explica o psicólogo Pedro Braga Carneiro.

Benefícios da meditação infantil

Embora seja comum a ideia de que, quando jovens, as obrigações e preocupações são menores, a noção de responsabilidade é sentida de forma diferente para cada faixa etária. Questões como as cobranças por resultados na escola, os problemas familiares, o bullying e a pressão de colegas estão formando crianças estressadas, ansiosas e depressivas, que perdem facilmente a atenção.

A partir desse ponto, é possível avaliar que, quanto mais cedo inserir atividades de conciliação pessoal e equilíbrio mental no cotidiano de um jovem, melhor e mais rápido serão os resultados ao longo do seu crescimento.

Dentre os benefícios estão o aumento da concentração, redução da agressividade, recuperação de sonos prolongados, diminuição dos sintomas da ansiedade, desânimo, cansaço e hiperatividade, auxilia a lidar com sentimentos de medo, raiva e decepção e promove um relaxamento físico e mental.

“Assim que incorporado o hábito da meditação infantil de maneira regular, é possível observar de forma mais eficiente novas formas de expressão, gerenciamento das emoções e elevação da motivação pertinentes”, cita o especialista.

Outro proveito do exercício está no distanciamento da solidão gerada pelo uso excessivo de eletrônicos. Ligadas 24 horas em redes sociais, jogos ou programas de televisão, as crianças já não têm tempo para sentar e conversar com elas mesmas, incentivar um mergulho para o seu interior.

A meditação chega com a proposta de abrir um espaço durante o dia, para que elas possam parar o que estão fazendo, focar em suas respirações e voltar a se conectar com ela novamente.

Como realizar a atividade

Crianças a partir dos 4 anos já podem praticar a meditação infantil. Não é esperado que elas fiquem paradas ou sem falar por mais de 10 minutos. É preciso ter paciência e levar em consideração o processo de desenvolvimento, aprendizagem e maturidade.

Uma boa técnica para melhorar a atividade e atenção é, perceber por quanto tempo o filho consegue se concentrar em uma história que está sendo narrada. A partir desse ponto já é possível determinar um intervalo adequado para realizar o exercício.

Organize um horário

Inclua na rotina e separe um momento antes de realizar as atividades escolares, ou os momentos de lazer por exemplo.

Vá aos poucos

É importante respeitar o tempo da criança, no início comece com poucos minutos, e vá aumentando conforme o hábito for ganhando força. A meditação infantil não deve ser uma imposição, mas sim uma atividade confortável. Os adolescentes podem fazer perguntas antes mesmo de começar, é importante responder com cuidado todas as suas dúvidas.

Respiração

Ao fechar os olhos em um ambiente confortável, ensine as crianças a perceberem sua respiração e explique como ela é importante para a nossa qualidade de vida.

Silêncio

No começo pode ser desconfortável, e por isso respeitar os limites das crianças e adolescentes, é importante. Mostrar que ficar em silêncio pode contribuir para que ela estude, brinque e corra com mais tranquilidade ao longo do dia.

Crie alternativas

Caso o jovem não consiga ficar em silêncio ou parado, estimule a imaginação dele antes de dar início ao exercício. Comece contando uma história e deixe que ele continue em seus pensamentos. No final do tempo, ele poderá te contar como a trama terminou.

Partilhe

Depois da meditação, é importante conversar, tirar as dúvidas e perguntar como eles se sentiram, sempre incentivando para a prática no próximo dia.

Técnicas para uma meditação efetiva

Caso queira optar por modelos diferentes, mas que tenham os mesmos resultados, ainda há alguns truques simples de aperfeiçoamento e meditação infantil guiada.

Respiração contada: fale para a criança prestar atenção no ar que entra e sai das narinas. O que entra é frio, enquanto o que sai é mais quente. Peça para que ela conte de um até três para inspirar e expirar.

Foco em um ponto: outra maneira de ampliar a concentração é criar um ponto focal. Com a criança deitada, coloque uma pequena pedrinha ou cristal sobre a sua barriga. Peça para que ela veja o objeto subindo e descendo conforme respira. A mesma ideia vale para uma imagem estática, como um quadro, um móvel ou decoração.

Ouvir um sino ou campainha: use um som que se estende e diminui com o passar do tempo. Instigue a criança a ouvi-lo até que sobre apenas o silêncio. Repita quantas vezes for necessário.

Repetição de frase ou mantras: para que o exercício não se torne cansativo ou entediante para o jovem, faça com que ele repita mentalmente ou em voz baixa (quando achar necessário) alguma frase positiva. Alguns exemplos são: “eu transbordo luz e amor”, “meu corpo é feito de energia boa”, “sou o centro da minha atenção”.

Fonte: MSN
Edição: C.S. 

 

Comentários

Nenhum comentário cadastrado. Seja o primeiro!





Deixe seu comentário

Nome*
Email*
Verificação*
Seu comentário*