TAMANHO DO TEXTO  VERSÃO DE IMPRESSÃO

A doença hemorroidária ou hemorroidas atinge estimadamente 50% da população brasileira adulta. O problema é caracterizado pela dilatação excessiva dos vasos sanguíneos ao redor do ânus e reto, provocando dores, sangramentos e desconforto na região, especialmente no momento da evacuação.

Quase metade do quantitativo das pessoas afetadas necessita de tratamento cirúrgico e para estes pacientes, o Hospital Prontomed Adulto oferece uma nova técnica cirúrgica que apresenta diversas vantagens com relação ao procedimento tradicional. 

O centro cirúrgico do Hospital Prontomed recebeu a visita do médico cirurgião e Prof. Dr. Mateu Rotta, que ministrou um treinamento a respeito da aplicação da técnica intitulada desarterialização hemorroidária transanal guiada por Doppler, ou THD.

A técnica é menos invasiva e consiste em dar um nó nos vasos causadores da hemorroida, o que faz com que o paciente não sofra com dores.

No Prontomed, o procedimento está sendo implantado pelo cirurgião do aparelho digestivo Dr. Elcias Vilarinho. Ele explica que este procedimento possui o grande diferencial de possibilitar um pós- operatório mais curto e tranquilo ao paciente. “A cirurgia tradicional tem a desvantagem de ser mais invasiva e exigir o grande tempo de recuperação, entre 30 e 60 dias. Isso sempre fez com que as pessoas evitem procurar tratamento, além do constrangimento natural que envolve a doença. Essa técnica vem com o diferencial de ser individualizada, por permite ao cirurgião abordar somente os vasos comprometidos”, afirma.

O médico esclarece que os métodos mais tradicionais tratam a doença com a retirada de todo complexo hemorroidário, utilizando lâminas ou bisturi elétrico causando, desta forma, consequências desagradáveis em seus pós-operatórios além de longos períodos de afastamento do trabalho.

“Com a evolução dos estudos em anatomia e fisiologia retal, conseguimos determinar a localização dos ramos arteriais responsáveis pela doença. Associamos a isso o efeito doppler que transforma uma onda de fluxo arterial em som e assim, temos a altura e a localização milimétricas destes vasos”, destaca o cirurgião, ressaltando que a técnica dispensa utilização de lâminas, bisturi elétrico ou qualquer forma de traumatismo.

A desarterialização hemorroidária guiada pelo doppler é uma técnica extremamente segura, que já vem sendo estudada e reproduzida desde 1995 no Japão e desde 2001 na Europa. Agora, está sendo aplicada no Piauí, reforçando a marca de pioneirismo e compromisso com a excelência do Hospital Prontomed.

A.N.



Últimas Notícias

Deixe seu comentário aqui.

Nome:

Email:

Comentário: Responda:

Envie esta matéria para um amigo.

Seu nome:

Seu email:

Email do destinatário:

Mensagem:

Notícias Relacionadas