MedZap
(86) 3131-1234
***

NOTíCIAS

Você sabe identificar se o seu filho está apenas triste ou se está com depressão?

Se a sua resposta foi negativa, não se sinta só, pois muitos pais também tem a mesma dificuldade  

Tamanho da letra:
A
A
Publicado em: 17 de outubro de 2017

Uma pesquisa realizada pelo Royal Children’s Hospital, da Austrália, revela que somente um terço dos pais daquele país se sentem seguros para reconhecer sinais de problemas de saúde mental, social ou emocional nos filhos.

Não entender bem os sinais e sintomas, bem como não saber onde encontrar ajuda, seriam algumas das principais dificuldades, mostrou o estudo, que ouviu mais de 2 mil pais australianos.

Além disso, 33% dos participantes do estudo alegaram não saber que crianças em idade pré-escolar poderiam sofrer de depressão ou qualquer outro problema de ordem emocional, ou mental.

“Os pais nos disseram que não é fácil para eles saber o que é normal e quando eles devem se preocupar. Um terço deles acredita que os problemas mentais, sociais e emocionais em crianças costumam se resolver sozinhos. E, claro, que sabemos que estas questões costumam responder bem se tratadas o quanto antes com um profissional”, disse a pediatra Andrea Rhodes, diretora do Royal Children’s Hospital, ao site Kidspot.

 

Como ajudar?

Ansiedade, déficit de atenção e hiperatividade são algumas das desordens que mais acometem as crianças em idade pré-escolar. Entre os adolescentes, os distúrbios alimentares sãos os mais comuns.

Observar os sinais para procurar ajuda precocemente é a principal atitude que os pais devem ter para evitar complicações, visto que parar alguns minutos para estabelecer uma conexão com a criança ajuda bastante nesta tarefa. Além disso, manter contato constate com a escola também facilita a identificação de algum possível problema.

“Apenas alguns minutos focando na criança, fazendo alguma coisa, ou conversando com ela é importante para identificar qualquer problema. É reconfortante saber que com atitudes simples no dia a dia podemos ajudar as crianças a terem hábitos saudáveis que vão refletir no bem-estar social e emocional delas”, ressaltou Andrea.

Fique de olho

Mudanças bruscas de comportamento, que perduram por semanas e afetam a capacidade da criança de lidar com a vida cotidiana em casa, ou na escola é um das principais pistas de que algo não está bem. Outros sinais são:

  • Tristeza o tempo todo;
  • Preocupações ou medos recorrentes;
  • Obsessões ou hábitos compulsivos que interferem no cotidiano;
  • Agressividade frequente;
  • Queixas físicas frequentes, como dores de barriga ou cabeça;
  • Problemas de sono.

 

Fonte: Crescer
Edição: A.R

Comentários

Nenhum comentário cadastrado. Seja o primeiro!





Deixe seu comentário

Nome*
Email*
Verificação*
Seu comentário*